Páginas

sexta-feira, 4 de dezembro de 2015

Prévia da Final da Liga Fluminense de Futebol Americano 2015

Ao fim desse texto, faltam apenas dois dias para o jogo mais importante da LiFFA 2015. Então, agora, você acompanha a prévia da Final entre Macaé Oilers e Volta Redonda Falcons, no próximo domingo (6), no enorme Estádio Raulino de Oliveira, às 14h, na 'Cidade do Aço'.

A Final acontece no domingo, às 14h, em Volta Redonda (foto: LiFFA)
Dessa vez, é só a prévia, então já vamos direto pro que importa, a análise dos dois times. Vamos lá?


Volta Redonda Falcons (4-1-1 na temporada regular/ 2-0 nos Playoffs):

Dissecando os dois times, há uma confirmação não oficial de que o quarterback titular é Lucas Fonseca, mas vai dividir snaps com o jovem Felipe Santos. Bom, Lucas atuou a primeira vez como QB no duelo contra o Blaze e deu a vitória ao time após o jovem Felipe 'pipocar'. Lucas não tem uma baita leitura, mas tem força no braço, corre bem e faz rollouts que castigam - sempre no movimento do braço direito; Felipe, pra mim, tinha tudo pra ser o MVP, mas eu não consigo ver o melhor jogador da partida apagado em um Wild Card e brilhando na decisão.

Pelo chão, Lucas Giatti e Guilherme Sargento são as melhores opções. O segundo mencionado é muito veloz, lê bem os gaps, só que teve problemas com fumble. Adoro seu estilo de jogo, mas vai precisar segurar a bola com toda a força do mundo contra a forte defesa dos Oilers.

Olho pro corpo de wide receivers e vejo um dos melhores da LiFFA: Iago Zerbone, Lucas Fonseca e Carlos Leal atuando no wide out, Arthur Barcelos no slot. Amigos, isso é demais. Eles se completam, todos tem qualidade pra pontuar. O TE Fábio Yaegashi era a bola principal, só que Márvio, seu substituto, faz recepções só que sem a segurança de receber oito bolas. Zerbone é a principal bola.

A linha ofensiva é boa, mas tem um problema: o left tackle. Não é uma questão pessoal, é, hoje, lógica. Guilherme Paiva é o LT. Foi bem contra o Niterói Federals na temporada regular e deprimente contra o Blaze no Wild Card - substituído por Amendoim. Se contra o 'Cunhado' foi difícil, imagina contra um Patrick Ribeiro que é muito mais forte no bull rush? Marcelo Arantes com certeza já sabe que vai precisar mudar seu game plan pra não pressionar seu lançadores. O meio da linha com C Igor Reis e LG Vinicius Balduino me chama a atenção positivamente.

Na linha defensiva, o maior destaque, hoje, é o DE 'Sombra. Outro negro mágico dessa nova safra. Ele passa tão fácil que nem parece fazer força. Rodolfo Barreto faz um bom trabalho como DT, ocupa gaps. Mas pro trabalho ser bem executado vão precisar da ajuda dos LBs.

Que corpo de linebackers, amigo! Eu acho que é um dos melhores da Liga. Pois eu vejo Kadu Estevão, Vitor Leal e Iago Reis e não vejo falhas. Eles estão em todas, entram fácil, são fortes e inteligentes. Acoplam muita eficiência ao 4-3.

O último jogo que eu vi deles foi contra o Blaze, por isso analisar a secundária é desonesto. Mas João Vitor Aguiar e 'Cabeça' foram bem; Jefferson Abrahão é malemolente nas interceptações. Cuidado. 

Macaé Oilers (4-2 na temporada regular/ 2-0 nos Playoffs):

Se Macaé chegou até aqui é por causa de Gabriel Lázaro, o quarterback. Sem ele, o time venceu o Andorinhas F.A e o fraco Petrópolis Wolves; perdeu pro semifinalista Niterói Federals. Só que sua presença é uma alteração na confiança do ataque, na mobilidade do lançador e nos improvisos. Ele tem um braço forte, faz boas corridas quando sai no movimento do seu passe destro. E não erra em uma das bases do ataque: handoff e toss.

Pelo chão, certamente é força máxima. O titular deve ser 'Bahia', Nivaldo completa o corpo de corredores, só que pra conquistar aquela jarda malandra, Diogo Coelho e Patrick Ribeiro terão algumas repetições. Pelo chão há alguns reverses com o WR Daniel Antunes e, raramente, com o WR Cordeiro.

Uma nota rápida sobre o estilo de jogo macaense: truncado, amarrado e solta braço. Nada é tão feijão com arroz quanto esse time. Não tem nada que você olhe e diga: "Uau, que diferente". Mas a coletividade prevalece. É um grupo pesado, jogadores fortes, difíceis de derrubar, gang tackles. Não vá ao Raulino achando que eles vão pra dar show. É catando a migalha sem errar. Bom time.

Seguindo, o corpo de WRs, pra mim, é um pouquinho pior que o de Volta Redonda: nas pontas há Daniel Antunes, Bruno Oliveira e Igor Oliveira; na meiuca o bom WR Cordeiro. Gosto desse último mencionado. Ele é bom, mas se ofusca um pouco por causa dos 'Oliveiras'. Pode surpreender.

A linha ofensiva vem completa. Os tackles Ivo e Erick Souto fazem uma baita dupla. Amo como se completam, pois, hoje, estão extremamente técnicos. Mais pro interior da linha, Artini faz um bom trabalho de guard e Maury é um bom center. Acho que nas extremidades da OL eu ficaria com os atletas do Oilers, no interior ficaria com Artini (OIL), Igor (FAL) e Badu (FAL).

No outro lado da linha, ai meu Deus. A melhor linha defensiva da LiFFA. Vamos lá: DE Dalmo, DE Patrick Ribeiro, DT Ivo Henrique, DE Matheus 'Baby Beef' e Maicon Campanati. É, amigos. Um longo dia pra Volta Redonda se a pressão entrar.

O corpo de linebackers tem Arthur 'Koringa' no meio e Bruno Rocha junto. Esse segundo é bom demais. Também atua como TE. Eles só precisam marcar, basicamente. A DL faz a obra.

A secundária é uma incógnita. Há bons jogadores como Bugão e Matheus Dutra, só que vejo Gustavo Ribeiro entregando passes longos para touchdown e fico preocupado; Augusto Monteiro se mostrou outra pessoa em 2015 como free safety.