Páginas

terça-feira, 1 de dezembro de 2015

Duelos interessantes dentro da Final da LiFFA 2015

Como diria a máxima: "Cada dia a mais é um dia a menos.", ou seja, nesse compasso vamos chegando pertinho da Final da LiFFA, que acontece no próximo domingo (6), às 14h, no Estádio Raulino de Oliveira, em Volta Redonda. De um lado o terceiro colocado geral, o Volta Redonda Falcons. Do outro, o quarto colocado na temporada regular, o Macaé Oilers. Então, conheça agora alguns duelos interessantes dentro dessa decisão que você deve observar no gramado:

Jogo terrestre do Volta Redonda Falcons x Front Seven do Macaé Oilers:

Bem, antes de tudo, para quem não sabe, o Front Seven é o grupo de homens de linha defensiva e linebackers, geralmente, são eles que se aglomeram no meio do campo, no ponto de inicio da jogada. Sabendo isso, vamos precisar pensar como o Volta Redonda Falcons vai encaixar um jogo terrestre eficiente, tendo do outro lado adversários que pressionam.
Gang tackle do Macaé Oilers na semifinal
O corpo de corredores de Volta Redonda é bom, só que contra o Blaze F.A que tinha uma linha defensiva forte, a equipe não conseguiu estabelecer boas investidas pelo chão, deixando o jogo amarrado. 

Do outro lado, Patrick, Dalmo, Morello, Ivo, Campanati e 'Baby Beef' fazem uma linha defensiva que reveza mas não perde força. Eles entram. E enfrentando uma linha ofensiva que é boa, mas creio que seja inferior à DL do Oilers, o jogo terrestre pode ser danificado, ainda mais por muitas das tentativas serem pelo meio. 

Eu trocaria corridas no meio por investidas por fora da linha ou passes curtos para running backs. A primeira opção deu certo com o RJ Islanders na semifinal contra os Petroleiros.

Wide Receivers do Volta Redonda Falcons x Secundária do Macaé Oilers

Bom duelo, hein?!

Pelo lado do Volta Redonda Falcons temos Iago Zerbone, Carlos Leal, Arthur Barcelos e Lucas Fonseca - quando Felipe Santos alinha de QB; a secundária de Macaé tem Matheus Dutra, 'Bugão', Gustavo Ribeiro e Augusto Monteiro. 
Iago Zerbone retornando também é um perigo (foto: Reprodução/Facebook)
Quando olho pra esse duelo, vejo uma leve vantagem para equipe do Sul do estado. Mas o que me preocupa - a mim não, no caso, pra Macaé - são as bolas longas. Contra o RJ Islanders, o time tomou alguns passes longos nas costas do CB Gustavo Ribeiro, gerando touchdowns. Por outro lado, não me recordo de Matheus Dutra tomando passes e Augusto é bom defendendo ameaças aéreas. 

Mas o futebol americano é ingrato: você pode passar 46 minutos sem tomar um passe, mas quando entra um é pra ser campeão.

Lucas Fonseca x pressão

Nem cito o fator externo da pressão psicológica, a pressão de ser uma final. Menciono apenas a pressão da linha defensiva de Macaé.

A questão de sofre pressão e ver o pocket fechar é por saber lidar, saber movimentar dentro de um espaço pequeno. Por mais que saiba correr, aprender a fazer um jogo de pés dentro do bolsão de proteção não se aprende em um mês e nem é extinto. 

O comportamento dele, e até do próprio Felipe, vai refletir na qualidade do ataque.

Gabriel Lázaro x secundária do VR Falcons

Os alvos de Gabriel Lázaro são ótimos: "Os Oliveiras" fazem uma baita dupla. Igor e Bruno vão encontrar uma secundária arrumada, com um cara que coordena a defesa que é extremamente inteligente, Marcelo Arantes. Só que a secundária que ele vai encontrar é muito arrumadinha. Não toma passes longos, nem slants. E se o passe não entrar...
Lazaro no pocket x Islanders
Aposte no Bahia

Uma das nuances do Macaé Oilers é correr, correr, correr, correr, correr. Mas dentro dessas corridas são vários estilos de running backs, várias chamadas diferentes para situações únicas. Bem, pensar que dá pra correr de duas em duas jardas com o FB Diogo Coelho e até com Patrick, também FB, quando 'Bahia' tocar na bola é pra explodir. Ele é muito rápido e sempre sai auxiliado por dois ou três bloqueadores - palmas para a linha ofensiva.

Só que o camisa 23 toca na bola pode ser bom pra Macaé ou pra Volta Redonda. Ele é ótimo, mas sofre fumbles e tem um jogo de mãos ruim. Socar a bola com ele carregando é obrigação, pois ela vai balançar.