Páginas

quinta-feira, 8 de outubro de 2015

Nova Friburgo Yetis faz seu primeiro jogo Full-Pads da história, só que fora de seus domínios

Pioneiro, corajoso, determinado e persistente. O Nova Friburgo Yetis foi tudo isso em 2015, pois abriu mão da Liga Fluminense de Futebol Americano na modalidade No Pads para se aventurar sozinho no sonho de todos, jogar Full Pads. Os friburguenses procuraram um adversário que fosse equivalente ao período de transição que vivem, e acharam. No dia 17 de outubro, o campeões de 2013 da LiFFA vão até Belo Horizonte, nas Minas Gerais, para duelar contra o recém-criado Get Eagles. O jogo começa às 18h, fazendo parte do Serra Bowl - Desafio RJ-MG - e a perna de volta será no fim de novembro, no Campo do Botafoguinho, na Serra Fluminense.

Essa é a primeira partida Full-Pads de uma equipe do interior do Rio (foto: Facebook/Yetis)
A última vez que os Yetis entraram em campo foi contra o Macaé Oilers, pela semifinal da LiFFA 2014, em 30 de novembro. Na ocasião, eles saíram derrotados por 26 a 03, interrompendo o sonho do bicampeonato. Só que 2015 veio e houve um período conturbado e de dúvidas das equipes que não sabiam se iriam para o Full-Pads, mas os 'Homens de Gelo' bateram o pé e ficaram com a transição.

Por conta da mudança e por só existirem Vasco Patriotas, Flamengo F.A e Botafogo Reptiles equipados no estado aptos para um amistoso, por causa do nivelamento e tempo de experiência seria ruim enfrentar uma equipe dessas e sofrer uma derrota acachapante. Fora do Rio, no segundo semestre muitos times disputam regionais ou nacionais, tornando difícil encontrar alguém disponível. Mas o Get Eagles, com aproximadamente um ano de criação aceitou o desafio, pois não está disputando competições.

Para o head coach Bernardo Scofano, a sensação de ser o primeiro treinador do interior do Rio a se preparar para um jogo Full-Pads é gratificante, não por si, mas pela dedicação dos seus atletas:

"É muito gratificante. Não só por mim, mas por saber que vou dar essa chance pros meus jogadores. Temos atletas que gastam quase 80 reais para poder ir treinar, acordam cedo no domingo para vir de outras cidades, mudam seus hábitos alimentares, rotina de treinos, tudo pelo time.", comentou Bernardo.