Páginas

terça-feira, 27 de setembro de 2016

Josh Marchbanks: o novo 'gringo' dos Oilers

Pois bem, essa reportagem poderia ter sido escrita bem antes, lá em junho, quando às vésperas da abertura da Liga Fluminense de Futebol Americano recebi uma mensagem que dizia que o Macaé Oilers teria um novo americano para sua temporada no Full-Pads. Na ocasião, erraram, e me disseram que era um linebacker, mas não, era um quarterback: Josh Marchbanks.

Confira alguns dos melhores momentos de Josh Marchbanks

Marchbanks em sua estreia pelos Oilers (foto: Jana Aguiar)
Hoje, setembro, alguns meses se passaram desde a apagada estreia de Josh na vitória por 7 a 6 em cima do Botafogo Reptiles, na festa do Moacyrzão. De lá pra cá, o americano vem contribuindo muito para a produção do ataque do campeão da LiFFA em 2015. Certamente, Marchbanks possui uma parcela de sucesso no recorde de três vitórias e uma derrota da equipe na competição que lhes rende, hoje, o segundo lugar e a vantagem de fazer a semifinal em seus domínios.

Essa reportagem não é pra falar se Josh é bom ou é ruim. Ela veio para responder uma pergunta: "De onde saiu esse 'gringo'?

Josh é americano, tem 30 anos, e é de Portland, no Oregon. Quando mais jovem, ele começou a jogar futebol americano no que se equivale à 7ª série no Brasil e parou aos 19. Aos 27 anos, quando estava morando em Idaho, ele escolheu voltar aos gramados em 2014 para atuar como safety na Idaho Contact Football League (ICFL), onde em sua última temporada, em 2015, chegou a atuar como outside linebacker.

Josh no duelo contra os Yetis (foto: Jana Aguiar)
Em 2016, no primeiro semestre, Josh veio ao Brasil visitar um amigo em Campos dos Goytacazes, cidade vizinha à Macaé. Procurando por um time para jogar, Marchbanks entrou em contato com o Mooca Destroyers-SP que indicou o Macaé Oilers. O até então safety e linebacker contatou os macaenses, que através de Patrick Ribeiro - americano e técnico da equipe - trouxe o camisa 2 para a Cidade do Petróleo.
Os macaenses tinham como seu lançador o jovem e promissor Gabriel Lázaro, curiosamente que também tinha aparições como safety. Marchbanks agora é titular, mas reveza alguns snaps com quem começava os jogos da temporada campeã de 2015. A equipe vem sabendo aproveitar as oportunidades e em algumas situações constroem um backfield com Josh, Gabriel Lazaro, Patrick Ribeiro e Paul Amorim - o mais americano dos brasileiros.

Atuando como lançador, Josh sabe que precisa melhorar e dificuldades nos dois primeiros jogos pelou pouco tempo de casa:

"Em uma auto-avaliação como quarterback, eu sei que eu tenho que melhorar. Os dois primeiros primeiros jogos foram difíceis, eu tinha apenas dois treinos, não sabia exatamente o que era para ser executado ofensivamente e não sabia os atletas que eu tinha." - avaliou o novato na LiFFA.